logo_belita

A taróloga

A taróloga

Das histórias dentro “Jefa”, a da taróloga, é uma das mais simpáticas. Para o clipe pensamos de dar um toque mágico a história. Digo “pensamos” porque durante o processo de criação consultei minha mãe (adoro os conselhos dela, tem muita fantasia). Decidimos, então, de inserir a figura da taróloga. Porque justamente a taróloga? Quem sabe, mas a ideia me conquistou logo.

La Cartomante backstage
A taróloga bastidores com diretor e estilista

Nathália foi a taróloga

Essa personagem, foi interpretada por Nathalia Batista Da Silva, jovem mulher brasileira, que mesmo sendo muito tímida, conseguiu perfeitamente interpretar a sua parte.
A taróloga vem retirada do contexto do mundo cigano, para representar a alma gyspy em uma visual mais moderna e glamourosa. Como já fiz por cada outro detalhe do vídeo, também nesse caso o confronto com o meu Costume Designer Luca Malaguti deu a resposta que procurava. Me levou a traduzir essa imagem de mulher sensual, dos tons escuros e misteriosos, mas ao mesmo tempo quentes e descontraídos, com rendas e joias típicas colhidas diretamente daquele mundo cigano.

A história em “Jefa”

No clipe a taróloga se encontra em um canto misterioso do local (Venus Club), escondido por uma chuva de franjas vermelhas. Me chama decidida e quando realizo a situação na qual me encontro, a rejeito desconfiada. Ela insiste para ler o meu futuro, então decido pescar uma carta do baralho de tarô: no meu futuro tem o amor. Vou embora incrédula, mas pouco depois quem chega? Giulio Dilemmi, o meu pretendente da história, do qual vos falei aqui também.

I tarocchi de Il Meneghello
O tarô do Il Meneghello

Il Meneghello

O tarô foi gentilmente fornecido por “Il Meneghello” histórica loja de Milão, nascida de uma ideia de Osvaldo Menegazzi em 1974. Em 45 anos realizaram centenas de baralhos de tarô, combinando tradição e inovação tudo exclusivamente Made In Italy. O utilizado no vídeo de “Jefa” é um tarô Visconti Sforza do século XV, feito a mão. Em particular, o baralho era o número 17 (coincidência enorme, se pensam que é o meu número preferido) de 1500 exemplares numerados. Como vocês podem imaginar são verdadeiramente preciosas e ao mesmo tempo delicadas, então me ocupei pessoalmente da retirada e devolução das cartas. Estava muito emocionada de as manejar, e sou verdadeiramente muito grata a toda equipe do “Il Meneghello” e em particular a Cristina Dorsini pela disponibilidade e simpatia.

Info

www.ilmeneghello.it

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.